Hérnia Disco Lombar
11/06/2018
Espondilolistese
21/08/2018

O que é espondilolistese?

A espondilolistese é uma condição em que uma das vértebras desliza fora do lugar sobre a vértebra abaixo dela. Se escorregar demais, o osso pode pressionar um nervo, causando dor. Geralmente, a parte inferior da coluna (lombar) é a parte mais afetada.

A palavra espondilolistese vem das palavras gregas spondylos, que significa “espinha” ou “vértebra”, e listhesis, que significa “escorregar ou deslizar”.

 Quais são os tipos de espondilolistese?

Existem diferentes tipos de espondilolistésia. Os tipos mais comuns incluem.

Espondilolistese congênita/displásica: Congênito significa “presente no nascimento”. A espondilolistese congênita é o resultado da formação óssea anormal. Nesse caso, o arranjo anormal das vértebras coloca-os em maior risco de escorregamento.

Espondilolistese ístmica: este tipo ocorre como resultado da espondilólise, uma condição que leva a pequenas fraturas de estresse (quebras) nas vértebras. Em alguns casos, as fraturas enfraquecem tanto, que a vértebra desliza fora do lugar.

Espondilolistese degenerativa: esta é a forma mais comum. Com o envelhecimento, os discos e as articulações perdem a capacidade de resistir ao movimento das vértebras.

Espondilolistese traumática: em que uma lesão leva a uma fratura ou deslizamento da coluna vertebral.

Espondilolisteses patológicas: que ocorre quando a coluna vertebral é enfraquecida por uma doença secundária como  osteoporose, infecção ou tumor.

Espondilolistese pós-cirúrgica: que se refere ao deslizamento que ocorre ou fica pior depois da cirurgia da coluna vertebral.

Quão comum é a espondilolistese?

A espondilolistese é a causa mais comum de dor nas costas nos adolescentes. Os sintomas da espondilolistese geralmente começam durante o surto de crescimento da adolescência. A espondilolistese degenerativa ocorre com maior frequência após os 40 anos de idade.

Como a espondilidese é classificada?

O grau de deslizamento de acordo como a radiografia pode ser:

Grau I: deslizamento de 1% a 25%

Grau II: deslizamento de 26% a 50%

Grau III: deslizamento de 51% a 75%

Grau IV: deslizamento de 76% a 100%

Geralmente, as notas de Grau I e Grau II não requerem cirurgia e são tratadas medicamente. Folhas de grau III e grau IV podem exigir cirurgia se permanecem persistentes, dolorosas, deslizamentos.

Quais são os sintomas da espondilolistese?

Muitas pessoas com espondilolistese não apresentam sintomas e nem sabem que têm a condição. Quando os sintomas ocorrem, a dor lombar é a mais comum. A dor geralmente se espalha pela parte inferior das costas e pode parecer uma tensão muscular.

A espondilolistese também pode causar espasmos musculares nos músculos isquiotibiais na parte de trás das coxas. Os isquiotibiais apertados podem fazer com que a pessoa ande com passos curtos e com os joelhos ligeiramente flexionados. Se a vértebra escorregada estiver pressionando um nervo, a dor pode se espalhar pela perna  e pé. O pé também pode adormecimento.

Como se trata a espondilolistese?

O tratamento para a espondilolistese depende de vários fatores, incluindo a idade e a saúde geral da pessoa, a extensão do deslizamento e a gravidade dos sintomas. O tratamento na maioria das vezes é conservador, envolvendo descanso, medicação e exercício. Espondilolisteses mais grave pode exigir cirurgia.

Tratamento conservador: interromper ou diminuir atividades físicas como esportes até a dor diminuir. Pode ser recomendado uso de medicamentos antiinflamatório não esteroide e analgésicos simples ou derivados de opióides para ajudar a reduzir a dor e a inflamação. As injeções epidurais de esteroides, nas quais a medicação é colocada diretamente no espaço epidural da coluna, podem ajudar a reduzir a inflamação e aliviar a dor.

Fisioterapia: exercícios de estabilização são o principal suporte do tratamento. Estes exercícios fortalecem os músculos abdominal e paravertebrais, minimizando o movimento vertebral. Manipulação manual: técnicas como a osteopatia, realizada por profissionais de saúde adequadamente treinados, podem ajudar a reduzir a dor ao mobilizar a disfunção articular dolorosa.

Tratamento Cirúrgico: cirurgia pode ser necessária nos casos de progressão do escorregamento ou se a dor não é aliviada pelo tratamento conservador e começa a interferir nas atividades diárias. Os principais objetivos da cirurgia para espondilolistese são aliviar a dor (lombar e radicular ), estabilizar a coluna vertebral e aumentar a capacidadefuncional.

O procedimento de  fusão espinhal (artrodese), é realizado para proporcionar estabilidade vertebral. Em uma fusão, o objetivo é a consolidação do segmento vertebral instável, criando uma massa sólida de osso – mantendo a coluna vertebral estável. Em alguns casos,  a instrumentação com hastes e parafusos são usados para manter as vértebras estáveis enquanto ocorre a consolidação óssea.

Vídeo para assistir: www.spine-health.com/video/isthmic-spondylolisthesis-video

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *