Abaulamento Discal
15/07/2019
Dor ciática
15/07/2019

Os discos intervertebrais são estruturas localizadas entre as vértebras com a função de amortecer o movimento e transmitir pressão. Eles são compostos de um núcleo pulposo preenchido com líquido e anel fibroso, que é mais rígido. Ao longo da vida, o disco se degenera e perde sua função ao desidratar. Como resultado, ele deixa de transferir as cargas na coluna e gera dor. Uma dor com origem em alterações no disco intervertebral é chamada de dor discogênica. Os desequilíbrios dessa estrutura também causam tensão nas facetas articulares e musculatura paravertebral. A fadiga muscular que ocorre nesses casos é uma das principais fontes de dor. No entanto, nem toda degeneração discal causa dor. 34% dos pacientes entre 20 e 39 anos apresentam algum tipo de degeneração em exames de ressonância e 93% dos adultos com mais de 60 anos possuem esse tipo de alteração. Mas boa parte dos casos permanece assintomática. Também é possível que a degeneração discal venha acompanhada de outras patologias da coluna. Assim, os sintomas podem incluir dor na coluna, irradiada para os membros.

Diagnóstico e tratamento

Para identificar o problema é preciso analisar o quadro clínico, que pode incluir sintomas de dor na coluna e irradiada. Com a suspeita de DDD, o médico recomenda exames de imagem para confirmar a patologia. Nos exames, o disco intervertebral afetado aparece mais escuro, por isso a patologia também é chamada de doença do disco preto.

Inicialmente o tratamento é conservador, utilizando analgesia e fisioterapia para controlar a dor. Depois da fase aguda, o paciente deve passar por um período de fortalecimento muscular para evitar novos problemas. Em casos nos quais o tratamento conservador não surte efeito satisfatório é possível usar a cirurgia de substituição de disco. A técnica mais utilizada é a fusão, que pode ser realizada com métodos minimamente invasivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *